A Universidade de Düsseldorf anula o título de doutorado da ministra alemã de Educação

A Faculdade de Filosofia da Universidade Heinrich Heine de Düsseldorf anunciou esta noite de terça-feira o resultado da análise da tese de doutorado da ministra alemã de Educação, Annette Schavan.
Com 12 votos a favor, dois contra e uma abstenção, o Conselho da Faculdade de Filosofia decidiu retirar o título de doutora concedido a Annette Schavan em 1980.
Bruno Bleckmann, decano da faculdade, declarou que Annette Schavan tinha,
 "de forma sistemática e deliberada, desenvolvido reflexões académicas que, na verdade, não partiram dela própria".
Annette Schavan, que se encontra de visita oficial à África do Sul, anunciou que vai recorrer ao Tribunal Administrativo de Düsseldorf.

Kommentare

  1. Por aí anulam doutramentos, porque os doutorados fizeram plágio.Por cá atribuem licenciaturas a uns tipos que nem sequer põem os pés nas Universdades...

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Carlos, se fechamos os olhos a casos como este, qualquer dia temos a Alemanha repleta de relva daninha.

      Löschen
    2. Não duvido. Foi assim que tudo começou por aqui. de qualquer modo, há uma diferença abissal entre os dois países. Os alemães são cultos e esclarecidos e os portugueses são analfabetos e desprovidos de consciência cívica. É por isso que temos esta gente hoje em dia no poder e só alguns reagem e fazem ouvir a sua indignação.

      Löschen
  2. Aqui já ninguém fala do Relvas!
    São tantas as fraudes que qualquer dia tido se aceita com a maior das naturalidades!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Não quero que no país onde vivo, as fraudes sejam aceites com a maior das naturalidades, Rosa.

      Löschen
  3. Porque é que me lembrei do nome Sócrates???
    E de Relvas???
    E de Vara?
    E de, e de, e de.....

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Pedro, mas nós aqui não queremos que a Alemanha se transforme numa "república de bananas" como em Portugal.

      Löschen
  4. Coisa que cá em Portugal nunca aconteceria! Veja-se o caso do Relvas... (que nem de perto nem de longe nada tem a ver com o Sócrates como refere o comentador acima!)

    AntwortenLöschen
  5. Uma ministra da Educação que cometeu plágio é dose! ;)

    Ao contrário dos restantes comentadores, suponho que o caso Relvas é muito pior do que a mera "manigância" de tirar um curso superior sem lá pôr os pés. Que é mau, obviamente, e diz bastante sobre a personagem. Mas então o que dizer daquela parceria com o fulano do SIS que "recolhia" informações sobre tudo o que era gente importante nesta terra? Querem ver que era só para estar informado? Pelo menos num caso serviu para chantagear uma jornalista, mas não tenho dúvidas que o estratagema de "pressionar" gente grada deve ter sido utilizado outras vezes... O pouco que ainda se sabe deve ser apenas a ponta do iceberg, porque no fundo o método é por demais conhecido em regimes ditatoriais. E por mafiosos!

    Bons sonhos!

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen